O Poder da Aromaterapia

Conceito, origem e história

Aromaterapia e a arte-ciência de utilização dos óleos essenciais (substâncias naturais formadas por moléculas químicas responsável pelo aroma das plantas). Aroma significa cheiro e terapia cura. Trata-se de uma técnica que utiliza extratos puros de plantas aromáticas com objetivo de equilibrar, mente, corpo e espírito. Estimulando a saúde, tratando doenças ou complementando tratamentos convencionais.
A Aromaterapia se baseia em outras duas ciências:
Aromacologia que define cientificamente a influência dos cheiros sobre as emoções e sentimentos. Os aromas atuam ativando áreas do sistema límbico e do hipotálamo que cuidam das funções vegetativas e endócrinas do corpo, e assim estimula reações comportamentais que podem auxiliar na recuperação de traumas, distúrbios de personalidades, desequilíbrio emocional etc.
Aromatologia concebe todo o estudo dos efeitos dos óleos essenciais, desde a sua ação psicologia, aspectos clínicos, gastronômicos, estéticos e energético. O estudo universal dos óleos essenciais e seus derivados, unindo diferentes fontes do saber, tais como farmacologia, antropologia médica, medicina, tradicional, química, fitoterapia etc. Ou seja, e com base nos levantamentos científicos da Aromatologia que se desenvolve novas aplicações e entendimentos para o uso dos óleos essenciais na Aromaterapia.
A Aromaterapia é um técnica de tratamento eficaz com histórico milenar. É reconhecida pela OMS (Organização Mundial de Saúde) e incluída pelo SUS (Sistema Único de Saúde) como terapias complementares integrativas que possuem importante papel na saúde global, trabalhando bem estar e atuando também de forma preventiva a doenças.
A Aromaterapia aplicada no dia a dia pode ser grande aliada promovendo bem estar, mas importante ressaltar o poder de ação dos óleos e não banalizar como um “cheirinho bom”, pensando nisso iremos iniciar uma série se postagens para que vocês entendem melhor dessa ciência dos aromas e encanta e cura!

Os Óleos Essenciais são o resultado da extração, geralmente por destilação, dos componentes voláteis das diversas plantas e da expressão do pericarpo de espécies cítricas. São relativamente fluidos, tem natureza volátil, possuem alguma coloração (em sua grande maioria), são insolúveis em água e relativamente solúveis em álcool. Embora recebam o nome de óleo não tem exatamente a viscosidade que o termo leva a pensar.
São extraídos de diversas partes da planta (raíz, caule, folhas, flores, frutos). Os óleos cítricos (tais como Limão, Laranja, bergamota, etc) são extraídos das cascas dos frutos.
Os aromas naturais dos óleos essenciais afetam diretamente a mente e o corpo físico humano e utilizando de forma adequada, podem oferecer resultados altamente positivos para a saúde no seu sentindo mais amplo.
Os óleos essenciais são extratos naturais puros de plantas, onde se concentra uma composição química complexa específica de cada planta. Dada a sua complexidade química, os óleos essenciais desenvolvem vasta amplitude de ações terapêuticas.
Portando os óleos essenciais são quimicamente bem diversificados assim como possuem diferentes atuações, ao contrário dos produtos quimicamente sintéticos que possuem uma única ação química. Por exemplo a Lavanda e comumente empregada em queimaduras, mas também como repelente de insetos, para alívio de dores de cabeça, TPM, insônia, ansiedade, stress, etc.
A abundância de óleo essencial varia conforme a planta. Caracteristicamente em cada planta ocorrem quantidades muito pequenas. Para se obter, por exemplo, 1kg de óleo essencial de eucalipto são necessários 46 kg desta planta e para mesma quantidade de óleo essencial de rosa, são necessários 3.000 kg de pétalas!
Diante dessas informações podemos ampliar o olhar para o uso dos óleos essenciais de forma consciente e entender como usufruir aos máximo seus benefícios sem desperdício e garantindo bem estar integral.

Embora o termo aroma remete para as fragrância, os óleos essenciais também apresentam propriedades farmacológicas tais que lhes permitem penetrar através da pele e atuar na corrente sanguínea. A menor molécula aromática já faz dela um agente capaz de agir sobre todo organismo humano.
Uma das forma de ação dos óleos essenciais muito eficaz é a massagem aromática, que é de eficácia imediata. O sistema linfático é o responsável pela drenagem do excesso de fluido das células e dos tecidos, pela absorção dos nutrientes lipossolúveis (solúveis em gorduras) e pelo controle de infecções no organismo. E o efeito da massagem aromática se faz sentir sobre estas áreas.
Os óleos essências são amplamente eficazes em tratamento infeccioso, inflamatório, deficiência imunológica… No entanto sua ação mais sutil, porém mais profunda de atuação no organismo e a que se faz sentir através da mente humana pelo sentido do olfato. As moléculas se óleo essencial contidas no ar aspirado, passando pelas vias respiratórias, estimulam os nervos olfativos ligados diretamente no sistema límbico responsável por regular atividades sensoriais e motoras. Os óleos essências ativam receptores neuroquimicos do cérebro e fazem comunicação com sistema nervoso e outros sistemas do corpo.
Por exemplo um óleo essencial calmante ativa a liberação de serotonina que responsável pela sensação de bem estar, promovendo relaxamento, aliviando estresse, ansiedade, etc.
Basta algumas gotinhas para fazer toda diferença na qualidade de vida!

Registros históricos mostram que há 6000 anos a Aromaterapia é praticada na China ininterruptamente até os dias atuais.
Pesquisas arqueológica mostram que há 3000 a. C. no Egito Antigo a Aromaterapia era conduzidas pelos sacerdotes que reconheciam a importância da saúde física e mental, além de aspectos espirituais do homens e a partir do Egito a Aromaterapia disseminou-se para o resto do mundo.
No entanto o termo Aromaterapia foi criado em 1928 por um químico perfumista, o francês René-Maurice Gattefossé, seu interesse pelo uso terapêutico dos óleos essenciais se deu quanto sofreu um acidente no laboratório de perfumes, o qual após uma explosão, sua mão foi gravemente atingida, provocando-lhe queimaduras severas. Necessitando resfriar a mão e sem vislumbrar nenhuma alternativa a sua volta, mergulhou a mão atingida em um recipiente que continha óleo essencial de Lavanda.
Para sua surpresa observou durante os dias que se seguiram, que sua mão não só se recuperava rapidamente, mas também que as cicatrizes eram mínimas.
Gattefossé passou então a pesquisar as propriedades do óleo de Lavanda e outros óleos essenciais e assim tornou-se a maior autoridade no assunto.
Ele dedicou mais de 50 anos de estudos com óleos essenciais e inspirou outros grandes pesquisadores como Jean Valnet, Marguerite Maury e Robert Tisserant protagonistas contemporâneos da Aromaterapia no mundo ocidental.
Uma Ciência com tradição tão antiga não há como deixar dúvida de sua eficiência, não como não se surpreender como os resultados!

Formas de utilização

“Em todas as nossas investigações da natureza, devemos observar que quantidade ou doses do corpo são necessárias para um dados efeito, e devemos nos precaver de superestimá-las ou subestimas-lãs”.
(Francis Bacon)
O fato que os óleos essenciais possuem em suas composições químicas ativos em concentrações muito elevados e devem ser utilizados com cuidado observando e uma orientação adequada.
Existem várias formas de aplicação da Aromaterapia que podem ser utilizada:
Massagens aromáticas (diluído em óleos vegetais) ótima para redução do estresse, relaxamento muscular, estímulo à circulação, tratamentos depurativos, analgésicos local, etc.
Difusão em ambiente (volatilizar óleos através do calor) ótimo opção para tratamento psicoemocional.
Nebulização (pulveriza micro partículas no ar) tem ação semelhante ao da difusão.
Inalação direta indicada principalmente para desconfortos respiratórios.
Banhos aromáticos (consiste em banho de imersão) uma excelente opção para provocar relaxamento e para o tratamento de dispersas dores musculares, reumáticas, afecções das vias respiratórias e alterações de ordem emocional.
Escalda pés especialmente recomendado nos casos de insônia, congestão, dores de cabeça, gripes, resfriados e etc.
Compressas Aromáticas são especialmente indicadas para uma determinada região específica do corpo e podem ser feitas frias ou quentes em função de tratamento.
Compressas frias em caso de contusões, inchados, dores de cabeça, febre entre outros.
Compressas quentes para maturação de abscessos, cólicas, dores reumáticas e musculares, entre outros.
Ressaltando que a Aromaterapia é uma terapia complementar e não deve substituir um tratamento convencional. Nem ser utilizada sem orientação!

Cuidados na utilização de óleos essenciais

A inebriante sensação de empoderamento, de bem estar e conforto que os primeiros contatos com a Aromaterapia proporciona, sem um mínimo de orientação ou conhecimento adequando pode levar uso inadequado e exagerado dos óleos essenciais o que pode causar prejuízos para saúde.
Não é porque o produto é natural e 100% puro que ele não pode ser usado de qualquer forma. Os óleos essenciais carregam composição a química das plantas super concentradas e ativos que se bem administrados podem trazer muitos benefícios para saúde e bem estar. Mas o contrário pode provocar irritações e até toxidade.
Antes de utilizar qualquer óleos sempre observar suas características e ter as precauções em seu uso.
Alguns óleos apresentam composto fotossensível, após o uso não deve expor-se ao sol pois podem provocar queimaduras e manchas na pele. São o caso dos óleos cítricos como limão, bergamotas, lima, grapefruit, Laranja, cominho, verbena, arruda…
O uso tópico sempre deve ser utilizado diluído, respeitando a diluição de 1% a 4%, salvo orientação específica para uso puro.
Portadores de epilepsia deve evitar uso dos OE de absinto, Alecrim, funcho, sálvia.
Uso na Gravidez e no trabalho de parto pode ser de grande ajuda, mas devem ser evitados Alecrim, sálvia esclareia, funcho, hortelã, junípero, manjerona, anis, canela, cânfora, cedro, cipreste, geranio, immortele, louro, manjericão, nos-moscada, orégano, Palmarosa…
Ao manusear óleos essenciais sempre lavar bem as mãos e ter o cuidado de nunca levar as mãos aos olhos antes de lavar.
Quem tem pressão alta evitar óleos que contenha cânfora como Alecrim e Hortelã.
Quem tem pressão baixa deve evitar OE de alho, cebola, Lavanda, pau Rosa, eucalipto glóbulos.
Quem tem distúrbios do fígado evitar os óleo de hortelã, canela, funcho anis, cravo…
Use óleos essenciais de forma consciente para poder usufruir de todos maravilhosos benefícios da Aromaterapia sem danos.
Use sem exagero, uma pequena gotinha carrega grandes poderes!

Além dos benefícios psicoemocionais os óleos essenciais vem conquistando cada vez mais amantes no uso de cuidados pessoais, cosmética e estética. devido seus ativos atuarem de forma muito eficiente e multifuncional. Seus ricos ativos em suas nano partículas que penetram de forma rápida e profundamente na pele, agem cuidando, prevenindo e nutrindo a pele, evitando seu envelhecimento e protegendo da ação do tempo e ambiente. O uso dos óleos essenciais em óleos vegetais como rosa mosqueta e jojoba, hidratam, nutrem, previnem o envelhecimento, controlam a oleosidade atenuam linhas de expressão, rugas e deixa a pele com toque sedoso e macio.

Aromaterapia vem mudando a minha pele. Após uma vida inteira maltratando com produtos inadequados, que nada se adaptava e nada e surtia efeito para controle de uma psoríase nas laterais inferior aos lábios e após vir morar em Palmas também ganhei de brinde grandes mapas de melasma nas maçãs do rosto.
Um fato inevitável da vida, mas que talvez nunca saberemos a intensidade da dor que provoca até acontecer, meu pai faleceu e o que provocou um verdadeiro terremoto emocional potencializando o estresse do dia a dia, descontrolando meus hormônios e desencadeando uma tempestade de acne em meu rosto.
SIM! Concordo que você tenha pensado como minha pele estava feia na primeira foto!
Para piorar ao me ver pipocada de espinha aos 37 anos de idade a ansiedade era aliviada com serotonina vinda de muitos bombons de chocolate, brigadeiros…
Eis que a Aromaterapia e Florais entram na minha vida e os óleos essenciais de Lavanda, Olíbano e Copaíba vieram para me salvar, estabelecendo o equilíbrio emocional.
Mas a bagunça hormonal já estava feita e apesar da pele ficar mais uniforme e de diminuir as acne, ainda estavam saindo espinhas.
Ao aprofundar mais no mundo fantástico da Aromaterapia entendi que o OE de Gerânio atuariam especificamente na regulação hormonal e em conjunto com a Lavanda e Palmarosa que além de atuar no controle da ansiedade com suas propriedades relaxantes, ambas tem ação regeneradora da pele, auxiliando a cicatrizar as espinhas, uniformizando a tonalidade da pele e prevenindo os efeitos do tempo.
Com uma rotina diária de limpar, tonificar e hidratar corretamente associado aos equilíbrio emocional e hormonal a pele foi limpando e cada dia fico ainda mais surpreendida com o poder da Aromaterapia.
Hoje entendo que somos muito complexo e não se deve cuidar de aspectos isolados, sempre uma situações vai estar ligada à outra. Ter essa percepção os torna mais sensíveis para entender as sutilezas da nossas ligações internas, e perceber como reagirmos as diversas situações.
Os óleos essenciais e com sua concentração de ativos em nano partículas com alta compatibilidade, a pele absorve instantaneamente proporcionando ação de forma eficaz e rápida. Usados adequadamente, você percebe uma mudança profunda e efeito duradouro pois a pele não vai estar apenas superficialmente cuidados e sim profundamente nutrida.

Ao inserir a Aromaterapia do dia a dia, você estará proporcionando bem estar em todos aspectos e surpreender a cada gota cheirosa!

Acompanhe nossas redes sociais e fique lidado nas nossas dicas!

Instagram e Facebook: @bodygreen.palmas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *